telessaude_horizontal-site.png
Facebook Instagram Twitter Linkedin Youtube linkedin.png WhatsApp Business spotfy.png Spotfy

4 de abril - dia nacional do Parkinsoniano

Avaliação do Usuário: 5 / 5

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativa
 

Doença é mais comum em pessoas que já atingiram a terceira idade (+60)

A data

O Dia Nacional do Parkinsoniano é celebrado anualmente em 4 de abril no Brasil. A data visa conscientizar e alertar a sociedade sobre o Mal de Parkinson e as demais doenças parkinsonianas, responsáveis por afetar o sistema nervoso central.

A data também ajuda a disseminar informações corretas sobre os avanços a nível de tratamento que a doença obteve ao longo dos anos. Hoje em dia, existem alternativas que ajudam a duplicar a expectativa de vida das pessoas que sofrem com este mal.

O que é ?

A doença de Parkinson é um distúrbio crônico do sistema motor que ocorre quando as células que produzem dopamina são destruídas ou severamente danificadas. A dopamina é uma substância química que envia sinais ao cérebro para controlar o movimento.

parkinson.jpg
Fonte: AbNeuro

À medida que essas células diminuem e a doença progride, os pacientes perdem gradualmente o controle de seus movimentos. Não há cura atualmente disponível para a doença de Parkinson, embora existam muitos tratamentos para ajudar os pacientes a terem uma vida plena e feliz.

Causas

A causa específica da doença de Parkinson e o porque as células da dopamina se degradam em algumas pessoas é desconhecida, embora possa estar ligada a genes anormais em alguns pacientes. Os cientistas também estão estudando o envelhecimento e fatores ambientais como causas potenciais. Ainda não há evidências suficientes disponíveis para identificar qualquer causa específica, embora a doença seja mais comumente vista em pacientes com mais de 50 anos e em homens.

Sintomas

Existem quatro sintomas principais associados à doença de Parkinson, incluindo:

  • Tremor
  • Rigidez nos músculos
  • Movimento lento
  • Dificuldade em caminhar ou se equilibrar

A maioria dos pacientes nota um leve tremor como sintoma inicial, que geralmente começa em um braço ou perna e se espalha lentamente para outras áreas do corpo. Nem todo mundo que desenvolve tremor tem doença de Parkinson, pois esse sintoma também pode estar associado a outras condições.

Uma vez que a doença de Parkinson é uma condição crônica e progressiva, pode eventualmente levar a complicações sérias se não for tratada. Com o tempo, muitos pacientes com essa condição experimentam:

  • Depressão
  • Problemas de sono
  • Dificuldade em engolir
  • Constipação
  • Disfunção sexual

Os medicamentos prescritos para a doença de Parkinson também podem causar muitos efeitos colaterais. Seu médico pode prescrever tratamentos adicionais para neutralizar essas complicações.

Prevalência

Estima-se uma prevalência de 100 a 200 casos por 100.000 habitantes. 

Esta doença é mais comum nas pessoas que já atingiram a terceira idade (a partir dos 60 anos) e é caracterizada por afetar a movimentação muscular do indivíduo.

De acordo com dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), atualmente aproximadamente 1% da população mundial com mais de 65 anos tem a doença.

Tratamento

Embora não haja cura disponível para a doença de Parkinson, existem muitos tratamentos disponíveis para ajudar a controlar os sintomas. Para a maioria dos pacientes, a medicação é prescrita para aumentar o suprimento de dopamina do cérebro, que controla tremores e problemas para caminhar. Isso é tomado na forma de levodopa, uma substância natural encontrada no corpo que é convertida em dopamina quando tomada na forma de pílula. 

Também é importante que os pacientes com doença de Parkinson façam exercícios regulares para manter a função em todo o corpo. Seu médico pode recomendar fisioterapia para garantir que você faça os exercícios de que precisa, o que inclui exercícios para melhorar a mobilidade, a amplitude de movimento e o tônus ​​muscular.

A cirurgia pode ser realizada para tratar essa condição, por meio de um procedimento denominado estimulação cerebral profunda, que coloca um eletrodo dentro do cérebro para fornecer estimulação elétrica e ajudar a controlar os movimentos. A cirurgia geralmente é reservada para pacientes com casos avançados da doença.

Medicamentos no Sistema Único de Saúde - SUS

Pacientes com menos de cinquenta anos contam com mais um tratamento à disposição por meio do Sistema Único de Saúde (SUS). O medicamento levodopa será ofertado sem restrição de idade pelo Farmácia Popular. Houve uma mudança no perfil dos pacientes acometidos pela doença. Dados da OMS têm mostrado um crescimento de diagnósticos precoces. A mudança da norma é para garantir atendimento a todas as pessoas que sofrem com a doença.

A Levedopa, agora disponível para diagnósticos precoces da doença, é um precursor de dopamina. Com ela, é possível a redução dos sintomas da doença de Parkison.

A oferta dos fármacos tem como objetivo proporcionar mais qualidade de vida aos pacientes com transtornos associados à doença, que afetam 200 mil pessoas no país. Essa é a segunda doença neurodegenerativa mais comum no mundo, atrás somente do Alzheimer. A ampliação do atendimento é para garantir atendimento e melhor qualidade de vida para pacientes e seus familiares.

 

Referências

https://www.neurolongisland.com/services/conditions/parkinsons-disease/

http://www.blog.saude.gov.br/index.php/53407-dez-por-cento-das-pessoas-com-doenca-de-parkinson-tem-menos-de-50-anos

https://www.drprempillay.org/brain/parkinsons-disease/

http://portalfmb.org.br/2019/04/04/4-de-abril-dia-nacional-do-parkinsoniano/

Tags:

Telessaúde São Paulo

E-mail: telessaude.sp@unifesp.br - Telefone: (11) 3385-4211

Endereço: Rua Pedro de Toledo, 715 - Piso superior - Vila Clementino - São Paulo - SP - 04039-032