telessaude_horizontal-site.png
Loja do Google Facebook Instagram Twitter Linkedin Youtube linkedin.png WhatsApp Business

OPINIÃO: O que é teleconsultoria ?

 

Por Mary Caroline Skelton Macedo 

A qualificação dos encaminhamentos na saúde é uma meta importante a ser perseguida: muitas das dúvidas em Atenção Primária podem ser respondidas por meio da telessaúde, permitindo que o paciente seja atendido onde está, com qualidade de informação e de atendimento sendo difundido a partir de centros de produção de conhecimento (universidades). Ao invés da dúvida fazer o paciente transitar por entre as esferas de atendimento, a dúvida é que transita e vem a qualificar o profissional/técnico, que capacitado não mais precisará, em muitos casos, encaminhar o paciente ao próximo nível de complexidade.

"Mas, para que isso tudo aconteça e se concretize, é necessário que façamos uso dessas ferramentas e possibilidades. Enquanto estivermos somente admirados com o potencial dessas ferramentas, essa energia toda continua apenas no papel:  Temos que utilizar essas ferramentas!"

Veja um vídeo de incentivo ao uso da ferramenta clicando na imagem abaixo:  

video o que é teleconsultoria.PNG

No TUTORIAL DO SOLICITANTE, do Ministério da Saúde, 2013, é possível encontrar informações importantes para o acesso ao programa. Em São Paulo fará o acesso por meio da Plataforma Pegasus. Verifique se seu cadastro está correto e comece a construir sua própria experiência de contar com o apoio de profissionais capacitados a fornecerem uma resposta adequada e possível de ser aplicada imediatamente nos casos que você estiver atendendo!

O que é Teleconsultoria ?


Segundo a Portaria GM/MS 2.546 (BRASIL, 2011), “é uma resposta sistematizada e construída com base em revisão bibliográfica, nas melhores evidências científicas e  no papel ordenador da atenção básica à saúde, a perguntas originadas das teleconsultorias, e selecionadas a partir de critérios de relevância e pertinência em relação às diretrizes do SUS”.

pegasus.png

Veja como se cadastrar na ferramenta Pegasus clicando AQUI.

teleconsultor.png

Um teleconsultor, ao receber uma questão de um profissional/técnico da saúde, fará uma pesquisa para saber o que há de mais recente publicado para responder à questão determinada, como por exemplo, como tratar escaras de decúbito. A busca em primeiro lugar será focada em encontrar revisões sistemáticas, nome dado aos trabalhos que realizam uma análise global do conhecimento produzido para o tema proposto, envolvendo principalmente a análise global de ensaios clínicos randomizados, como descrito anteriormente. Valem aqui também as metanálises, que são análises globais de muitos ensaios clínicos randomizados que permitiram uma análise estatística sobre todos os resultados obtidos nestes trabalhos. Essas serão as melhores evidências para a resposta estruturada, desde que o assunto já tenha permitido que esses estudos tenham sido realizados.

No caso de não existirem estudos desse tipo publicados, o teleconsultor construirá a resposta baseado na ciência que existe e está publicado, utilizando-se dos próprios ensaios clínico-randomizados ou até casos clínicos publicados, mas sempre sua resposta apontará qual o nível de evidência que ele encontrou para responder à sua dúvida. Esse aspecto dará ao profissional/técnico a perspectiva da produção de conhecimento para apoiar a sua ação clínica para um caso específico, o que é de extremada importância para que se produza atendimento baseado no conhecimento mais atualizado produzido, assim como saber quais são temas necessários de que se produza mais ciência para responder a necessidades loco-regionais específicas.

Segundo o Protocolo de Solicitação de Teleconsultorias: “Caso o conteúdo da resposta de uma teleconsultoria assíncrona seja pertinente e replicável nos contextos regionais e/ou nacional de saúde, poderá vir a se transformar, após um processo de anonimização e de revisão por pares profissionais, em uma Segunda Opinião Formativa (SOF), e se disponibilizada pela Biblioteca Virtual em Saúde (BVS).”

Segundo o mesmo Protocolo: “boas solicitações irão gerar boas respostas. Portanto, a qualificação do profissional solicitante dentro do processo de solicitação é ponto-chave.” Esta colocação é de suma importância para que sua dúvida seja respondida a contento: faça uma boa pergunta! Quer seja sobre regulação, processo de trabalho ou dúvida clínica, é importante que ela esteja bem estruturada e contenha elementos chave para que o teleconsultor possa compreender o que você precisa e buscar nas melhores fontes de informação os conteúdos para compor sua resposta!

Bem, agora é a sua vez! Pense em dúvidas que lhe ocorreram ao longo de seu trabalho diário e que não puderam ser respondidas, porque simplesmente não puderam ser feitas a alguém que lhe pudesse auxiliar. Para que você não se ausente de suas atividades para realizar a pesquisa que lhe apresentará uma resposta, e até para que você tenha uma resposta mais condizente com a sua necessidade, o Telessaúde São Paulo está pronto para receber sua solicitação e enviar uma resposta muito importante, para que sua atuação se qualifique mais e mais e, na dependência de sua dúvida, a atuação de outros também, mesmo que a área de prática deles seja em outro estado, ou mesmo em outro país!

Aguardamos sua teleconsultoria ansiosos para que você experimente a eficácia desse programa e, como nós, se torne mais uma adepto das tecnologias que promovem melhor qualidade de atenção à saúde no nosso magnífico país!

 

l_20190611122247.jpg

Mary Caroline Skelton Macedo  

Graduada em Odontologia pela Universidade de Taubaté - UNITAU (1985), Mestre (1998) e Doutora em Endodontia (2003) pela FOUSP; Pós-Doutorado em Teleodontologia, pela FMUSP (2010). Foi Consultora de OPAS/Ministério da Saúde no Programa Telessaúde Brasil (2009-2010). Atualmente é Professora-Doutora de Teleodontologia e Endodontia na FOUSP, Projetista e Coordenadora do Núcleo de Teleodontologia/Telessaúde (NTo-Ts) CPDigi FOUSP, e, ex-conselheira eleita para o Conselho Regional de Odontologia do Estado de São Paulo, CROSP (gestões de 2013/14 e 2015/16). Tem experiência na área em Odontologia e Docência Universitária, com ênfase em Endodontia, atuando principalmente nos seguintes temas: Docência Universitária; Estratégias de Ensino-aprendizagem; Tecnologias móveis aplicadas à Educação e Didática no Ensino Superior; Produção de Material Didático para ensino presencial e a distância; Ensino a Distância na Saúde (EaD); Endodontia; Educação Continuada; Ensino Odontológico; Design Instrucional; Teleodontologia; Telessaúde; Informática em Saúde e, Avaliação. Membro SBPqO, IADR, ADEA, ISfTeH e ABTms.

 

Referências


Ministério da Saúde. Estratégia eSaúde para o Brasil.

Ministério da Saúde. Protocolo de Solicitação de Teleconsultoria.

Brasil (2011)

Telessaúde São Paulo

E-mail: telessaude.sp@unifesp.br - Telefone: (11) 3385-4211

Endereço: Rua Pedro de Toledo, 715 - Piso superior - Vila Clementino - São Paulo - SP - 04039-032