telessaude_horizontal-site.png
Loja do Google Facebook Instagram Twitter Linkedin Youtube linkedin.png WhatsApp Business

Janeiro Verde - mês de conscientização sobre o câncer de colo de útero

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Saiba o que causa e como prevenir o câncer de colo de útero

Causado pela infecção frequente do vírus HPV, câncer de colo de útero figura entre a quarta maior causa de morte por câncer no Brasil, mas pode ser facilmente prevenido através da realização de exames e acompanhamento ginecológico regular.

Janeiro é o mês de conscientização sobre o câncer de colo de útero, sendo simbolizado pela cor verde. Segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), esse é o terceiro tumor maligno mais frequente nas mulheres – atrás apenas do de mama e do colo retal -, e a quarta causa de morte por câncer entre a população feminina no Brasil. Isso mostra a desinformação das mulheres sobre a doença bem como a falta de políticas e campanhas de conscientização sobre esse tipo de câncer.

Dados do Ministério da Saúde apontam que 75% das mulheres sexualmente ativa entrarão em contato com o HPV ao longo da vida e cerca de 5% delas vão desenvolver o tumor maligno em um prazo de dois a dez anos. 

Diante desse cenário, faz-se necessário uma maior conscientização em relação a esse tipo de tumor, que pode ser descoberto durante um exame de rotina e atingir altas taxas de cura quando detectado e tratado no início.

O que é ?

O câncer de colo de útero é um tumor maligno que afeta a parte inferior do útero, surgindo devido a infecção frequente por alguns tipos do Papilomavírus Humano, conhecido popularmente como HPV.

Mais comum em mulheres, mas também podendo afetar homens, o HPV é um vírus contagioso geralmente transmitido por meio de relações sexuais. Apesar de ser muito frequente, a infecção pelo HPV é geralmente combatida pelo sistema imunológico e não evolui para doenças mais graves, mas, dependendo do tipo do vírus, a infecção pode causar alterações celulares que evoluem para um quadro de câncer.

Além da infecção pelo HPV, outros fatores como atividade sexual precoce, histórico de verrugas genitais, tabagismo e presença de doenças imunossupressoras também podem influenciar no surgimento do câncer de colo de útero.

Prevenção

A melhor estratégia para prevenir o câncer de colo de útero é através da identificação e tratamento precoce da infecção causada pelo HPV. Por isso, é fundamental a realização do exame de Papanicolau e o acompanhamento ginecológico, afinal, os sintomas de HPV, que consistem principalmente no surgimento de pequenas verrugas na região íntima, podem demorar muito tempo para se manifestar.

Papanicolau deve ser feito em mulheres de 25 a 64 anos de idade, que já tiveram relação sexual, conforme diretriz do Ministério da Saúde. Em relação à frequência,  deve ser realizado a cada três anos, após dois exames normais consecutivos no intervalo de um ano.

Além da realização frequente de exames, é fundamental também adotar cuidados para prevenir o HPV em si, como sempre utilizar preservativos durante relações sexuais. Existe também uma vacina capaz de combater a infecção pelo HPV, prevenindo, consequentemente, o surgimento do câncer de colo de útero. Disponível pelo Sistema Único de Saúde, a vacina, que é administrada em duas doses com um intervalo semestral entre elas, é indicada para meninas e meninos que possuem entre 9 e 14 anos.

No entanto, vale ressaltar que a vacina disponível atualmente é capaz de proteger apenas contra os 4 tipos de vírus HPV mais comuns no Brasil. Logo, a realização de exames é indispensável até mesmo para quem tomou a vacina, visto que existem mais de 100 tipos de HPV.

Sintomas

Normalmente não existem primeiros sintomas do câncer de colo do útero, sendo que a maioria dos casos é identificado durante o exame de papanicolau ou apenas nas fases de câncer mais avançado. Assim, além de se saber quais os sintomas do câncer de colo do útero, o mais importante é fazer frequentemente consultas no ginecologista para realizar o papanicolau e iniciar o tratamento precoce, caso seja indicado.

Porém, quando provoca sintomas, o câncer de colo do útero pode causar sinais como:

  • Sangramento vaginal sem causa aparente e fora da menstruação;
  • Corrimento vaginal alterado, com mau cheiro ou coloração marrom, por exemplo;
  • Dor abdominal ou pélvica constante, que pode piorar ao usar o banheiro ou durante o contato íntimo;
  • Sensação de pressão no fundo da barriga;
  • Vontade de urinar mais frequente, mesmo durante a noite;
  • Perda rápida de peso sem estar fazendo dieta.

Tratamento

A partir do momento em que o câncer de colo de útero é identificado, o tratamento pode incluir radioterapia, quimioterapia, braquiterapia (também conhecida como radioterapia interna) e a histerectomia (remoção do útero). Mas a escolha do tratamento dependerá da gravidade da doença e características pessoais do paciente. Por isso, a consulta com um ginecologista é indispensável.

Referência

https://www.hospitalanchieta.com.br/janeiro-verde-promove-conscientizacao-sobre-cancer-de-colo-de-utero/
https://www.osaogoncalo.com.br/geral/92420/campanha-janeiro-verde-promove-conscientizacao-sobre-o-cancer-de-colo-de-utero
https://www.tuasaude.com/sintomas-de-cancer-de-colo-de-utero/

Telessaúde São Paulo

E-mail: telessaude.sp@unifesp.br - Telefone: (11) 3385-4211

Endereço: Rua Pedro de Toledo, 715 - Piso superior - Vila Clementino - São Paulo - SP - 04039-032